Poster – 08

Título

Optimização da Hemoglobina na cirurgia electiva

Autores

Anabela Aires; Alexandra Santos; Maritza Silva

Introdução: A anemia é um problema de saúde pública global, que afecta cerca de 20% da população adulta portuguesa. Tem inúmeras causas, sendo a ferropénia a mais comum. A anemia peri-operatória é um factor de risco de morbi-mortalidade previsível e modificável, pelo que um dos dos pilares do Patient Blood Management (PBM) assenta na optimização da anemia no doente proposto para cirurgia electiva. Em contexto de PBM, o tratamento com ferro endovenoso tem por objectivo uma rápida reposição dos depósitos de ferro. A carboximaltose férrica (CMF) é um complexo macromolecular de ferro sacarosado com baixa toxicidade, pelo que permite administração endovenosa em altas doses.

Objectivo. Avaliação do tratamento com CMF no doente pré-operatório electivo referenciado à consulta de hemoterapia do Hospital de São José.

Material e Métodos: Revisão de todos os processos clínicos e dos registos transfusionais dos doentes referenciados à consulta de Hemoterapia do Serviço de Imuno-Hemoterapia do Hospital São José, para optimização de Hemoglobina (Hb) no contexto de cirurgia electiva, entre Janeiro de 2015 e Setembro de 2016.

Resultados: No período estudado, foram referenciados 49 doentes. Destes, 39 foram operados, 9 permanecem em lista de espera e 1 faleceu a aguardar cirurgia. Os doentes foram referenciados pela Anestesia, tendo a maior parte deles o diagnóstico de neoplasia colo-rectal. A cirurgia ocorreu em média 61 dias [6; 217] após a primeira consulta. A dose média administrada de CMF por doente foi de 1150 mg, com excelente tolerância e ausência de efeitos adversos relatados. Na primeira consulta, a Hb média foi de 10,51 g/L [8;14,5] e a ferritina média foi de 40,27 ng/mL [3; 198,1]. Na reavaliação às 3 semanas verificou-se um incremento médio de Hb de 1,35 g/L e ferritina de 521,88 ng/mL. 21 doentes foram transfundidos no período peri-operatório. As patologias com maior necessidade de transfusão de componentes sanguíneos foram a neoplasia colo-rectal (9) e Escoliose (7).

Conclusões: A anemia no pré-operatório, para além de ser per se um factor de risco para complicações e morte, predispõe o doente à necessidade de transfusão de sangue. Sendo a transfusão um tratamento celular que é limitado pelo número de dádivas de sangue benévolas, os programas de PBM surgem como uma evolução quer no tratamento dos doentes quer na economia da saúde. No nosso hospital, embora não esteja implemetado um programa de PBM oficial, tem havido uma abordagem multidisciplinar com a Anestesia e as diversas especialidades cirúrgicas na tentativa de que mais doentes nos sejam referenciados para optimização. A nossa experiência de utilização de CMF tem vindo a demonstrar que se trata de um medicamento seguro, eficaz e conveniente nos diversos contextos médicos e cirúrgicos.

X