Anemia na Gravidez

Home / Anemia na Gravidez

Prevalência da Anemia na gravidez em Portugal

54%
Fonte: Estudo Empire

Anemia na Gravidez

A anemia é uma condição médica que pode surgir na gravidez. A presença da anemia quer dizer que, o sangue não tem eritrócitos suficientes em circulação para transportar o oxigénio a todos tecidos e órgãos e ao bebé. Quando os tecidos não recebem a quantidade adequada de oxigénio, as suas funções são afetadas, assim como o normal desenvolvimento do bebé.

Durante a gravidez, o risco de desenvolver anemia é maior, considerando que, o organismo produz mais sangue para suportar o crescimento do bebé. Se o organismo não recebe o ferro e outros nutrientes que necessita, para a produção dos eritrócitos para esse sangue adicional, é possível que se verifique uma anemia ligeira.

A anemia durante a gravidez pode ser leve e facilmente tratada se for detectada precocemente. Pode todavia tornar-se perigosa, tanto para a mãe como para o bebé, quer nas suas formas mais graves, quer se não for tratada. O risco de complicações graves é significativo, como por exemplo: baixo peso ao nascer, parto prematuro e infeção e mortalidade materna.

Tipos de anemia na gravidez

Existem diferentes tipos de anemia, mas alguns são mais prevalentes na gravidez. Os tipos de anemia mais frequentemente verificados na gravidez são:

Anemia ferropénica

Esta é a causa mais frequente de anemia e, consequentemente, o tipo mais comum de anemia na gravidez. Aproximadamente 15% de todas as gestações apresentam deficiência de ferro. O ferro é um mineral essencial para a formação dos eritrócitos, que são responsáveis pelo transporte do oxigénio a todos os tecidos e órgãos.

Anemia por deficiência de ácido fólico

O ácido fólico, que é uma vitamina solúvel em água que faz parte do processo de produção dos eritrócitos. É um suplemento tomado pela grávida, mas também pode ser encontrado em alimentos fortificados, como cereais, vegetais, bananas, melão e legumes. Uma dieta sem ácido fólico pode levar a uma deficiente produção de eritrócitos.

Anemia por deficiência de vitamina B12

A vitamina B12 é uma vitamina necessária para a produção de eritrócitos. Quando uma grávida não ingere vitamina B12 suficiente pode comprometer a produção de eritrócitos saudáveis. Nalguns casos, apesar do consumo ser suficiente, pode existir uma impossibilidade do organismo processar a vitamina, levando também a uma situação de deficiência de vitamina B12. As mulheres que não incluem na sua dieta carne, aves, laticínios e ovos têm um risco maior de desenvolver deficiência de vitamina B12, e contribuir para certos defeitos congénitos, como anormalidades do tubo neural (espinha bífida) e um parto prematuro.

Causas e Riscos de Anemia na Gravidez

Todas as grávidas correm o risco de ficarem anémicas. Isto porque necessitam de mais ferro e acido fólico do que normalmente. A diminuição nos níveis de hemoglobina durante a gravidez tem como causa, a maior expansão do volume plasmático versus o aumento do volume de eritrócitos. A desproporção entre estes dois fatores (aumento do plasma vs. número de eritrócitos) tem a sua maior desproporção durante o segundo trimestre da gestação.

Algumas das causas e fatores de risco que podem contribuir para à anemia na gravidez são:

  • Duas gestações num curto período de tempo;
  • Gravidez múltipla (gémeos);
  • Gravidez na adolescência;
  • Ter anemia antes de engravidar;
  • A ausência de ferro na dieta alimentar, como resultado da não ingestão de alimentos ricos em ferro ou a incapacidade absorver o ferro consumido;
  • Ser vegetariana;
  • A gravidez em si, pelo maior consumo de ferro em consequência do aumento do volume de sangue;
  • Hemorragias menstruais intensas, uma úlcera ou pólipo, ou dádiva de sangue antes de engravidar.

Sintomas de Anemia na Gravidez

Muitas vezes, a anemia na gravidez apresenta sintomas leves no início, muitas vezes desvalorizados. No entanto, à medida que a gravidez evolui, os sintomas agravam-se. Alguns sintomas comuns da anemia são:

  • Fraqueza ou cansaço
  • Tonturas
  • Falta de ar
  • Batimento cardíaco rápido ou irregular
  • Dor no peito
  • Pele pálida, lábios e unhas
  • Mãos e pés frios
  • Dificuldade de concentração

Consequências da Anemia na Gravidez

A anemia ferropénica não tratada na gravidez pode aumentar o risco de:

  • Um bebé prematuro ou com baixo peso ao nascer;
  • Necessitar de uma transfusão de sangue (no caso de uma hemorragia significativa durante o parto);
  • Depressão pós-parto;
  • Recém-nascido com anemia;
  • Uma criança com atrasos no seu desenvolvimento:

A deficiência de ácido fólico não tratada pode aumentar o risco de:

  • Um bebé prematuro ou com baixo peso ao nascer;
  • Um bebé com um grave defeito congénito da coluna vertebral ou do cérebro (defeitos do tubo neural).

A falta de vitamina B12 não tratada também pode aumentar o risco de ter:

  • Um bebé com um grave defeito congénito da coluna vertebral ou do cérebro (defeitos do tubo neural).

Testes para Despiste da Anemia na Gravidez

Na primeira consulta pré-natal, a realização de análises de sangue pode despistar a existência de anemia. As análises geralmente incluem:

  • Teste de hemoglobina (que mede a quantidade de hemoglobina).
  • Teste de hematócrito (que mede a percentagem de eritrócitos).

A existências de níveis abaixo do normal de hemoglobina ou hematócrito, pode significar uma anemia por deficiência de ferro. Pode, no entanto, ser necessário efetuar outros testes para verificar se a anemia se deve a uma deficiência de ferro ou a outra causa. Na existência de uma anemia no início da gravidez, serão necessárias novas análises ao longo da gravidez para monitorização.

Tratamento da Anemia na Gravidez

A anemia na gravidez pode ser facilmente tratada, com a inclusão de suplementos de ferro e de ácido fólico, além das vitaminas pré-natais. Da mesma forma uma dieta com alimentos ricos em ferro e ácido fólico (carne, ovos, laticínios, vegetais, cereais, frutos secos, etc.) poderá levar a uma gravidez sem anemia.

Para tratar a deficiência de vitamina B12, pode existir a necessidade de um suplemento de vitamina B12.

Nos casos mais graves poderá ser necessário o acompanhamento por um especialista em problemas de sangue (hematologista). O especialista fará o acompanhamento de toda a gravidez e ajudará controlar a anemia.

Prevenir a Anemia na Gravidez

Para prevenir a anemia na gravidez é necessário garantir o aporte necessário de ferro. Para isso, são necessárias refeições equilibradas e com alimentos ricos em ferro. As recomendações de ferro por dia para uma grávida são de 30mg (pelo menos três porções). Assim devem estar incluídos na dieta:

  • Carne vermelha magra, aves e peixes;
  • Vegetais (como espinafres, brócolos e couves);
  • Cereais e grãos enriquecidos com ferro;
  • Feijões, lentilhas e tofu;
  • Nozes e sementes;

Pode ser um desafio muito difícil de concretizar, fazer a ingestão de tanto ferro como é sugerido durante toda a gravidez só com alimentos, recomenda-se assim tomar suplementos de ferro, além de consumir esses alimentos. Alimentos que são ricos em vitamina C podem realmente ajudar o corpo a absorver mais ferro, por isso é benéfico fazer a sua inclusão. São exemplo:

  • Citrinos;
  • Morangos e sumos de morango;
  • Kiwis;

Deve fazer-se a ingestão destes alimentos simultaneamente com os alimentos ricos em ferro. Por exemplo, beber um sumo de laranja e comer cereais fortificados com ferro ao pequeno almoço.

Para prevenir a deficiência de ácido fólico, devem ser incluídos na dieta da grávida:

  • Vegetais;
  • Citrinos;
  • Feijão;
  • Pães e cereais fortificados.

A toma de um suplemento vitamínico que contenha ferro e ácido fólico, é fundamental para garantir as quantidades necessárias deste elementos.

As grávidas vegetarianas devem considerar a necessidade de tomar um suplemento de vitamina B12 na gravidez e durante o período de amamentação.

Após o parto, a apesar do volume sanguíneo e os níveis plasmáticos voltarem ao normal, é importante voltar a monitorizar a anemia e evitar a continuação de uma situação de anemia, agora sem gravidez e recuperar as reservas de ferro.

Referencias bibliográficas:

  1. Harms, Roger W. Mayo Clinic Guide to a Healthy Pregnancy, New York, Harper-Collins Publishers Inc. [e-book]
  2. Obstetrics and Gynecology: The Essentials of Clinical Care. New York.
  3. Scott, James et. al. Danforth’s Obstetrics and Gynecology. 2003. 9thEdition. Ch.17, 153-155
  4. Cunningham, F. Gary, et al. Williams Obstetrics. 2005. 23rd Ch.51, 1079-1092.

AWGP – Jul. 2019

X