Poster – 06

Título

Diagnostico diferencial de anemia no idoso

Autores

Patrícia Valério 1, Rita Silvério 2, Joana Polido 2, Inês Ferreira 2, Ana Farinha 1, Pedro Carreira 2, Paula Lopes 2, Joana Santos 3, Manuela Fera 2, Anabela Neves 3, Amadeu Prado Lacerda 2
1 – Serviço de Nefrologia, 2 – Serviço de Medicina Interna, 3 – Serviço de Hematologia Do Centro Hospitalar de Setúbal

A anemia no doente idoso pode tornar-se um grande desafio diagnóstico não só pelo vasto espectro de manifestações clínicas como pelas comorbilidades frequentes.

Apresenta-se o caso de uma doente de 85 anos, independente nas atividades de vida diária, com pluripatologia: neoplasia do urotélio, estadio pT1G3 desde 2013, sob terapêutica com Bacilo Calmette-Guérin (BCG) intra-vesical semestral; doença renal crónica estádio 4; Diabetes Mellitus tipo 2 não insulino-tratada; hipertensão arterial; fibrilhação auricular permanente e cardiopatia isquémica.

A doente é admitida no SU por dor pré-cordial de início súbito naquele dia, acompanhada de astenia e adinamia que a obrigavam a suspender a marcha. Negava dispneia, ortopneia ou dispneia paroxística noturna. Ao exame objectivo apresentava palidez da pele e mucosas e sopro sistólico grau III/VI no foco aórtico, sem edema periférico, sem outras alterações. Na investigação inicial, a destacar hemoglobina de 4.9 g/dL, com VGM e HGM normais, leucopénia ligeira (4.900/uL), sem agravamento da função renal, enzimas cardíacas negativas e ECG e radiografia torácica sem alterações relevantes.

A doente foi internada para investigação, tendo sido percorrida uma extensa marcha diagnóstica: investigaram-se défices vitamínicos e ferro (sem alterações), perdas hemáticas (EDA e colonoscopia normais) e excluiu-se hemólise (apesar de um ecocardiograma com função sistólica normal mas uma estenose aórtica grave). Exclui-se ainda processo infeccioso subjacente e iatrogenia, nomeadamente envolvimento medular após terapêutica com BCG. A doente fez ainda estudo da hematopoiese incluindo medulograma, biópsia óssea e mieloculturas. Apesar da extensa investigação, a doente ficou dependente de suporte transfusional e estimulador da eritropoiese.

Com este caso, pretendemos salientar o desafio diagnóstico consequente da pluripatologia destes doentes e a necessidade de um elevado índice de suspeição para alguns dos diagnósticos diferenciais não ficarem esquecidos.

X