Poster – 05

Título

Diagnostico diferencial de anemia grave num jovem adulto

Autores

Patrícia Valério 1, Ana Farinha 1, Luis Tavares 2
1 – Serviço de Nefrologia do Centro Hospitalar de Setúbal 2 – Serviço de Infecciologia do Centro Hospitalar Barreiro Montijo

A anemia é um problema de saúde prevalente nos jovens da população portuguesa como mostra o estudo EMPIRE. A ferropénia é a causa mais frequente mas em subpopulações especiais há muitas outras causas a considerar.

Apresenta-se o caso de um doente de 25 anos, sexo masculino, com história pessoal de Diabetes Mellitus tipo 1 diagnosticada aos 10 anos com complicações microvasculares (retinopatia diabética), doença renal crónica de etiologia ainda a esclarecer e infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) diagnosticada em Julho de 2014.

O doente foi encaminhado para a consulta de Nefrologia por um aumento progressivo da creatinina sérica nos últimos dois anos (creat 1,2 –> 2,2 mg/dL), associada a uma anemia com agravamento nesse período, mas já com 4 anos de evolução (14 –> 10.2 –> 7.2g/dl), com necessidade de suporte transfusional. O doente negava qualquer sintomatologia associada. Estava medicado com dolutegravir e abacavir/lamivudina. Ao exame objectivo, a destacar, apenas, palidez mucocutanea e edema maleolar ligeiro. Além da anemia com VGM e HGM normais, analiticamente apresentava uma contagem flutuante de plaquetas, que variou nos últimos 4 anos entre 82 e 272.000/uL; esfregaço sangue periférico sem alterações relevantes; provas de função hepática normais; saturação da transferrina 31%, sem déficit de vitamina B12 ou folato; análise sumária de urina com glicosúria, proteinúria (2.3 g/dia) e leucocitúria (26 leucócitos/campo); carga viral indectectável; e contagem linfocitária 400 CD4+/uL. Optou-se por iniciar estimulador da eritropoiese.

A anemia é a complicação hematológica mais frequente em doentes infectados com VIH. Isto pode dever-se directa ou indirectamente ao vírus, quer pelo seu efeito mielossupressor, por aumento da destruição de eritrócitos ou por efeito dos anti-retrovirais ou outros fármacos. Por outro lado, a anemia também faz também parte do espectro de manifestações da doença renal crónica, mas neste caso era relevante a discrepância entre o grau da insuficiência renal (leve e recente) e a gravidade da anemia

Com este caso pretende-se realçar a importância da abordagem multidisciplinar para a identificação de potenciais fatores promotores de anemia sobretudo quando há uma desproporção entre a gravidade da anemia e estes mesmos factores.

X