Poster – 03

Título

AVALIAÇÃO DAS RESERVAS DE FERRO NOS DADORES DE PLAQUETAS

Autores

Igor Pidgirnyi 1, Galyna Kostyk 2, Isabel Branco 1, Dialina Brilhante 1
1 – Serviço de Imunohemoterapia do IPOLFG; 2 – Serviço de Imunohemoterapia do Hospital S. Bernardo

INTRODUÇÃO: Os dadores regulares de sangue apresentam uma queda progressiva nas reservas de ferro, proporcional à frequência de doação e nem sempre aparente na determinação da hemoglobina. A determinação da ferritina sérica pode ser necessária para detectar estes estados pré-clínicos e prevenir a anemia ferropénica nos dadores. Os dadores regulares de plaquetas perdem cerca de 40 ml de eritrócitos por dádiva (volume de sangue das amostras e do preenchimento do sistema). Pela maior frequência das dádivas, pode representar uma perda significativa nas reservas de ferro.

OBJECTIVOS: Avaliar as reservas de ferro e sua repercussão na hemoglobina nos dadores regulares de plaquetas, comparando com a população candidata à dádiva de primeira vez.

MATERIAL E MÉTODOS: A população estudada é constituída por dois grupos: Dadores com duas ou mais dádivas de plaquetas; dentro destes, foram também avaliados os dadores de multicomponentes, com doação simultânea de eritrócitos e plaquetas. Dadores de sangue de primeira vez, antes da doação. Nos dadores regulares de plaquetas, foram colhidas amostras para hemograma e ferritina pré e imediatamente pós aferese, estas últimas colhidas num braço diferente; foi obtido consentimento informado do dador. Nos dadores de sangue total (população controle), foi colhida amostra pré-dádiva para ferritina, além das análises de rotina, que incluem hemograma.

RESULTADOS:

CONCLUSÃO: A ferropénia tem uma incidência significativa na população portuguesa e é preocupante o impacto que esta possa ter na dádiva de sangue e, em particular na dádiva de plaquetas. Pela sua maior frequência, pode levar a uma espoliação de eritrócitos que não é de desprezar. É importante conhecer a extensão do problema, para definir estratégias de monitorização, prevenção e correcção do défice de ferro, que podem passar pela modificação dos hábitos alimentares, suplementação com ferro oral ou aumento do intervalo interdádivas.

X