Poster – 09

Título

ANEMIA NO IDOSO – DESAFIO DIAGNÓSTICO

Autores

André Rodrigues 1, Lígia Fernandes 1, Cláudia Rocha 1, André Simões 1, Joana Rodrigues 1, Vera Clérigo 1, Dora Sargento 1, António Robalo Nunes 2, Glória Silva 1
Hospital Pulido Valente – 1- Medicina IIIC, 2 – Imunohemoterapia

Segundo o estudo EMPIRE, Portugal tem uma prevalência de 19,9% de anemia no adulto, sendo os idosos um grupo especialmente importante, em que se associa a mortalidade e morbilidade significativa. A etiologia é variada, sendo frequentemente multifatorial.

Caso clínico: Mulher de 84 anos de idade, com antecedentes pessoais relevantes de doença renal crónica, hipertensão arterial, e internamento prévio em que foi identificada bulbite polipóide e erosiva, divertículos e adenoma tubular da sigmóide com displasia de baixo grau. Seguida habitualmente em Hospital de Dia de Imunohemoterapia por necessidade de suporte transfusional. Foi admitida em serviço de Medicina Interna por quadro de Enfarte Agudo do Miocárdio (EAM) por anemia aguda (Hb 5,2 g/dL). Durante o internamento permaneceu hemodinamicamente estável, sem perdas hemáticas visíveis (apenas um coágulo nas fezes ao 3º dia). Realizou endoscopia por vídeo cápsula que revelou 3 pólipos no duodeno, um deles com ponteado vermelho. No estudo analítico, apresentava reticulocitose, ferro sérico normal e ferritina aumentada (5898,7 ng/mL). Inicialmente com bilirrubina, LDH e haptoglobina normal, verificou-se durante o internamento elevação progressiva de bilirrubina e LDH. A favor de hemólise a referir ainda Teste de Antiglobulina Direto positivo. Ao longo de 41 dias efetuaram-se 28 unidades de concentrado eritrocitário, com baixo rendimento transfusional, mesmo após início de corticoterapia. Realizou Tomografia Computorizada que revelou volumosas adenopatias lombo aórticas e hepatoesplenomegália. Foi realizada biópsia de uma das adenopatias, sendo identificado Linfoma difuso de células grandes B. A doente foi encaminhada para o Instituto Português de Oncologia, tendo vindo a falecer 3 dias depois por novo quadro de EAM.

Com este caso clínico, os autores exemplificam o desafio diagnóstico da anemia no idoso, sendo neste caso particular justificado por doença crónica, anemia por perdas e hemólise em contexto de Linfoma.

X