SÁBADO, 29 NOVEMBRO

Mesa Redonda – Anemia na mulher – Gravidez Menopausa

Dados do EMPIRE – Anemia da gravidez e na menopausa

11:00 – 11:30

Moderadores

João Mairos, Fátima Romão e Ana Farinha

Palestrante

Aurora Belo

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a deficiência de ferro (DF) e a anemia representam um grave problema de saúde pública.1 A anemia afecta cerca de 25% da população mundial2 e associa-se a um aumento da morbi-mortalidade, sendo a segunda causa de incapacidade a nível mundial.1 A DF é uma das perturbações nutricionais mais comuns nos países desenvolvidos e em desenvolvimento, especialmente em mulheres e adolescentes.3,4 A nível mundial, estima-se que afecte entre 20 a 50% da população.5 Na Europa, estima-se que estes valores variem entre 8 e 33% em mulheres jovens,6 não havendo dados concretos nacionais. No que respeita aos valores de anemia a nível nacional, o relatório da OMS (1993-2005) apresenta uma prevalência estimada de 15,0% em mulheres e de 17,3% em mulheres grávidas.2 No entanto, os resultados do estudo EMPIRE vieram revelar prevalências de anemia preocupantemente mais elevadas em Portugal: 20,8% em mulheres e 53,8% nas grávidas. Em Portugal desconhece-se a dimensão do problema da DF nas mulheres em geral e na grávida em particular.

1 Organization, W.H. Anaemia prevention and control.; http://www.who.int/medical_devices/initiatives/anaemia_control/en/].

2 Organization, W.H., Worldwide prevalence of anaemia 1993-2005: WHO global database on anaemia, B. de Benoist, et al., Editors.

3 Scrimshaw, N.S., Iron deficiency. SciAm, 1991. 265(4):46-52.

4 Cançado, R. Deficiência de ferro: causas, efeitos e tratamento. Revista Brasileira de Medicina 2010

5 Bodnar, L., M. Cogswell, and T. McDonald, Have we forgotten the significance of postpartum iron deficiency? American Journal of Obstetrics and Gynecology, 2005.193:36-44.

X