Anemia: conheça o problema que afeta os adolescentes

Anemia: conheça o problema que afeta os adolescentes

A anemia não descrimina ninguém, afetando adultos, idosos e adolescentes, sejam eles mulheres ou homens. Hoje é o dia da Anemia e vamos abordar uma problemática que muitas vezes é desvalorizada.

Importa conhecermos de que se trata então esta patologia e contamos com a ajuda do pediatra Lino Rosado que nos prestou alguns esclarecimentos sobre o assunto. “A deficiência em ferro ou ferropenia é a mais frequente deficiência nutricional, sendo a anemia o último estádio desta deficiência”, explica o médico. Apesar de ser uma doença que é muitas vezes desvalorizada, esta é bastante comum nos adolescentes devido às constantes mudanças nos hábitos alimentares e às necessidades de autoafirmação no seio familiar, fatores que originam essa carência de ferro.

Poucos são os dados disponiveis em relação à deficiencia de ferro neste grupo etário em particular, no entanto, segundo o pediatra “as estatísticas mostram taxas de prevalência de 9% em raparigas dos 12 aos 15 anos e de 16% em raparigas dos 16 aos 19 anos”. No que diz respeito aos rapazes essa prevalência é mais baixa, o que se pode explicar pelos períodos menstruais que afetam o género feminino.

“É muito importante que haja uma adequada quantidade de ferro na dieta e este seja biodisponível para satisfazer as necessidades neste período particular da vida.”, conclui o pediatra.

Como em tudo, a prevenção é a melhor medida a tomar de forma a ultrapassar este problema, sendo aconselhável pelo especialista que as adolescentes sejam seguidas anualmente “após a menarca e os adolescentes durante o seu período de maior crescimento”. O início desta doença é na grande maioria das vezes pouco perceptível, sendo o seu desenvolvimento um processo progressivo, resultando em sintomas como o cansaço, palidez, irritabilidade, palpitações e cefalias.

Segundo Lino Rosado, é importante conhecer, divulgar e partilhar os sintomas de forma a que seja possível distingui-los de outras doenças por parte dos utentes. Assim surge, a nova aplicação “O rosto da anemia”, disponível em www.orostodaanemia.pt, com o objectivo de sensibilizar a população para aquele que é atualmente um problema de saúde pública.

A Anemia Working Group Portugal, realizou um trabalho pioneiro em todo o território nacional intitulado “EMPIRE” que obteve resultados alarmantes: 20,4% da população, um em cada cinco portugueses são afetados por esta doença silenciosa durante a sua vida, sendo mais de metade resultado de uma deficiência nutritiva de ferro. Não desvalorize a sua saúde.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
X