SÁBADO, 26 NOVEMBRO

Conferência

Deficiência de Ferro sem Anemia – Um novo paradigma

13:00 – 13:30

Moderadores

António Robalo Nunes e Cândida Fonseca

Palestrante

Alexandra Santos

A deficiência de ferro afecta mais de 2 biliões de pessoas, tendo uma prevalência estimada duas vezes superior à da anemia causada por défice de ferro, de acordo com dados da OMS. É um problema de saúde global e frequente na prática médica diária. Neste contexto, em Portugal, está publicada uma Norma de Orientação Clínica que aborda a ferropénia no adulto (DGS – NOC 030/2013 actualizada a 09/04/2015). O ferro é um elemento fundamental nos processos metabólicos das células e dos organismos, incluindo a respiração, a produção de energia, a síntese de ADN e proliferação celular. A homeostasia dos sistemas reguladores do ferro ocorre a nível sistémico e a nível celular. São vários os órgãos e sistemas em que se tem vindo a demonstrar o papel crucial do ferro e, consequentemente, os efeitos deletérios da sua deficiência. Actualmente já existe um conhecimento profundo do metabolismo do ferro mas ainda restam muitas questões por resolver e outras tantas se vão levantando. Por exemplo, a regulação renal do ferro, a importância neurodegenerativa do metabolismo local do ferro, a interacção entre o ferro e os tecidos inflamatórios e as células do sistema imune, importantes em doenças comuns tais como aterosclerose e neoplasias. Para além do conhecimento da biologia celular básica torna-se necessário entender o metabolismo do ferro aplicado a cada doença. Deste modo poderemos conceber novos conceitos terapêuticos.

X